Futuro das CPIs de Brumadinho deve ser definido nesta terça

Senadores e deputados interessados em tratar das circunstâncias da tragédia de Brumadinho (MG), que deixou 165 mortos confirmados e 155 desaparecidos confirmados até a noite da última segunda-feira (11).

Há dois requerimentos protocolados com assinaturas: um na Câmara, pela deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), e outro no Senado, encabeçado pelos senadores Otto Alencar (PSD-BA) e Carlos Viana (PSD-MG). Os senadores devem conversar na manhã desta terça (12) para definir se manterão uma CPI independente no Senado ou juntarão forças com a Câmara. Alencar não confirma acordo entre as Casas.

"Primeiro eu vou ouvir o lado da Câmara, o que eles vão propor. Vou conversar com os deputados para a gente ver a viabilidade de tocar isso", diz o senador baiano.

Propostas de CPI sobre Brumadinho têm alvos diferentes

Congressistas do PSL criticam STJ por soltar funcionários da Vale

Em paralelo aos requerimentos de CPI já protocolados, uma comissão externa da Câmara, que visitou a região atingida na última sexta (8). O grupo propõe uma Comissão Mista (CPMI), mas Joice rechaça aliança com o grupo.

"Nem eu nem o Carlos Viana abrimos mão de ter essa CPI no caso de ter interferência de gente que pode criar dificuldades para vender facilidades", afirmou a deputada. Sem citar nomes, ela rejeitou acordo "com a turma do PT, ou de governos antigos, do [Fernando] Pimentel [ex-governador petista de Minas], ou mesmo da Dilma, ou que tenha qualquer ligação com mineradoras".

A comissão externa da Câmara alega que a CPI não é o principal objetivo do grupo. Os deputados devem fechar nesta terça um documento chamado "Carta de Brumadinho", com mudanças legislativas que o grupo defenderá que se aprove com urgência, independentemente das investigações.

"Não adianta ter uma CPI no Senado e uma na Câmara tratando do mesmo assunto. Por isso vamos pedir o bom senso dos senadores e deputados para compor uma mista", afirma o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), integrante da Comissão.

Delgado critica, no entanto, a ideia de fazer uma CPI voltada especificamente às circunstâncias da tragédia. "O acidente de Brumadinho já está sendo investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais. A Polícia Civil está fazendo um inquérito. Você chegar à conclusão que o inquérito deles está chegado, nós [parlamentares] vamos chegar nos memos personagens. Nos mesmos responsáveis", avalia o deputado.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!