Flávio Arns se filiará ao Podemos e sigla chega a 12 senadores; MDB tem 13

O senador Flávio Arns, eleito pela Rede Sustentabilidade do Paraná, irá se filiar na próxima semana ao Podemos. A data ainda não está definida, mas será feito um anúncio público no Congresso Nacional.

Com a chegada de Arns a legenda terá 12 senadores, a segunda maior bancada da Casa Legislativa, atrás do MDB, com 13 congressistas.

Todos os três senadores do Paraná são do Podemos, além de Arns, já eram do partido Alvaro Dias e Oriovisto Guimarães.

Nas duas últimas semanas a sigla atraiu os senadores José Reguffe (DF), que estava há dois anos sem partido, e juíza Selma Arruda (MS), que saiu do PSL após o governo federal agir para esvaziar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava Toga, que quer investigar membros de tribunais superiores.

Por outro lado, a Rede se reduziu a menos da metade da bancada que foi eleita em 2018. A sigla fundada por Marina Silva elegeu Alessandro Vieira (SE), Capitão Styvenson (RN), Fabiano Contarato (ES), Randolfe Rodrigues (AP) e Flávio Arns (PR).

Alessandro foi para o Cidadania e o Podemos absorveu Styvenson e Arns.

>Podemos cresce, ameaça o MDB e já mira a presidência do Senado

O Podemos quer atrair mais senadores e se tornar a maior bancada. A legenda não adianta esses nomes, pois prefere deixar que os próprios senadores anunciem a filiação.

Nos bastidores, o que se diz é que o partido tem conversado com Carlos Viana (PSD-MG),  Major Olimpio (SP), que é líder do PSL no Senado, e Soraya Thronicke (PSL-MS).

Jorge Kajuru (GO) foi sondado também, mas acabou indo ao Cidadania. O Podemos desistiu porque Alvaro Dias não concordou com dois nomes sugeridos por Kajuru para trabalhar na secretaria da sigla no Senado.

> Senadora conhecida como 'Moro de saia' troca o PSL pelo Podemos

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!