“Não deviam entrar na frente do blindado”, diz Mujica sobre manifestantes na Venezuela

O ex-presidente uruguaio José Mujica comentou nesta quarta-feira (1), em um ato do Dia dos Trabalhadores em Montevidéu, a crise política que toma a Venezuela desde a manhã da última terça. Após o evento, foi perguntado por um repórter o que achava da cena em que um blindado da Guarda Nacional Bolivariana, leal ao presidente Nicolás Maduro, avançou contra manifestantes. E respondeu:

"No hay que ponerse delante de la tanquela [não deviam entrar na frente do blindado]", disse Mujica aos jornalistas. Desde terça o país viveu uma tentativa de levante de Juan Guaidó, presidente autoproclamado e reconhecido por mais de 50 países, contra Maduro. O líder da oposição, que teve apoio insuficiente no Exército, luta para angariar suporte nas ruas.

Guaidó convocou os opositores nesta quarta, por meio do Twitter, a irem às ruas novamente. O líder do levante divulgou uma lista de locais de concentração dos protestos na capital Caracas. “Seguimos com mais força do que nunca”, afirmou.

Também pelo Twtter, Maduro falou sobre o feriado do Dia dos Trabalhadores, mas criticou a alegada interferência norte-americana no país. “A classe trabalhadora tem em mim um presidente que sempre defenderá seus direitos e reivindicações, fazendo frente ao império e seus lacaios, que pretendem retirar nossas conquistas. Fracassarão”.

>> Crise na Venezuela dificulta reabertura da fronteira com Brasil, avalia senador

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!