MP denuncia Joesley Batista e ex-procurador por corrupção na delação da JBS

 

O Ministério Público Federal (MPF) em Brasília denunciou à Justiça, nesta segunda-feira (25), o empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa JBS, do grupo J&F, e o ex-procurador da República Marcelo Miller pelo crime de corrupção.

Também foram denunciados pelo MPF Francisco de Assis e Silva, um dos delatores, e a advogada Ester Flesch, uma das sócias do escritório de advocacia que contratou Miller. A acusação foi apresentada em sigilo de Justiça. Todos negam irregularidades.

>> Cármen Lúcia arquiva investigação sobre áudios da JBS que citam ministros do Supremo

De acordo com a denúncia, na gestão do ex-procurador da República Rodrigo Janot, Marcelo Miller atuou em favor da J&F durante o processo de assinatura do acordo de delação.

O MPF afirmou, na peça, que Miller recebeu R$ 700 mil para ajudar o J&F com informações privilegiadas para fechar os acordos de colaboração premiada.

Segundo a acusação, documentos trocados entre Miller e integrantes do escritório de advocacia que o contratou comprovariam o “jogo duplo” no caso.

Miller era considerado braço direito de Janot. Segundo áudio gravado acidentalmente por Joesley e o executivo Ricardo Saud, Miller dizia que Janot tinha planos de trabalhar com ele no escritório de advocacia.

A defesa do ex-procurador sustentou no processo que ele “nunca atuou como intermediário entre o grupo J&F ou qualquer empresa e o procurador-geral da República Rodrigo Janot ou qualquer outro membro do Ministério Público Federal”.

 

>> Janot planejava atuar em escritório junto com Marcelo Miller, diz Ricardo Saud em gravação

>> Advogado da JBS, Marcelo Miller foi informado um dia antes sobre operação que prendeu irmã de Aécio

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!