Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Ex-secretário flagrado em vídeo de assédio sexual a russa tem condenação no TCE e deve pensão

 

 

Um dos homens que aparecem em um vídeo cantando músicas em alusão à cor do órgão sexual de uma russa já foi condenado pelo Tribunal de Contas de Pernambuco por irregularidades na prestação de contas de 2012 do município. Na época, Diego Valença era secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Ipojuca (PE), onde fica a praia de Porto de Galinhas, na gestão do prefeito Pedro Serafim (PDT). A informação é do jornal Extra.

Valença também foi condenado por dever R$ 37,5 mil de pensão alimentícia à ex-mulher. O processo foi iniciado em 2014 e está na primeira instância.

De acordo com o TCE-PE, foram gastos R$ 2,2 milhões em 12 processos de inexigibilidade para a contratação de atrações artísticas pela prefeitura de Ipojuca. Outra irregularidade apontada pelo TCE-PE é que os empresários contratados em todos os processos são para uma data e local e não exclusivos para o artista ou banda.

Além disso, segundo o tribunal, em nenhum dos processos consta a inscrição dos artistas ou bandas na Delegacia Regional do Trabalho, conforme exigido em lei federal. O TCE também constatou que não havia na documentação justificativa para os preços praticados no contrato. Jatobá também foi acusado de improbidade administrativa. Ele e outros três secretários foram condenados a pagar multa individual de R$ 4.788,63. A multa acabou derrubada em recurso apresentado pela defesa dele. O ex-secretário não foi localizado pelo Extra.

Jatobá era filiado ao PSB até 2016, quando teve sua filiação suspensa depois de não se recadastrar internamente. A participação dele no vídeo que expôs a jovem russa foi repudiado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE). "Por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, repudia veementemente o conteúdo de um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais em que um grupo de brasileiros ladeia uma mulher, que aparentemente não é brasileira nem fala português, e profere em coro ofensas relacionadas ao seu órgão sexual", diz em nota.

<< Veja a reportagem do Extra

Continuar lendo