Médicos não autorizam Bolsonaro a participar de debates; Haddad ironiza

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, não foi liberado pelos médicos para participar dos debates eleitorais e de atos de campanha de rua. O primeiro debate entre o militar e seu adversário Fernando Haddad (PT) seria realizado na próxima sexta-feira (12), na TV Band.

O cirurgião Luiz Macedo e o cardiologista Leandro Echenique examinaram Bolsonaro nesta manhã (quarta, 10), em sua casa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A avaliação dos médicos é de que o candidato ainda está fraco, precisa recuperar peso e repor vitaminas.

“Não sei a respeito do debate, sei que na quinta-feira [18] ele estará conosco no [Hospital Albert] Einstein”, disse Macedo, de acordo com reportagem do portal de notícias UOL.

Haddad: “Vou até uma enfermaria fazer o debate”

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, disse nesta quarta (10), em entrevista a jornalistas estrangeiros, em São Paulo, que irá “na enfermaria em que ele [Bolsonaro] estiver” para debater. “Eu vou até uma enfermaria, na boa, fazer o debate porque nós temos que passar a limpo muita coisa”, disse, segundo o UOL.

Conforme relata a reportagem, Haddad disse que não tem a intenção de estressar Bolsonaro nos debates. “Vou falar da forma mais clara possível. Vou falar docemente. Não altero a voz. Nem olho para ele se ele ficar com muito receio. Faço o que ele quiser para ele falar o que ele pensa e debater o país. Com assistência médica, enfermaria, em qualquer ambiente”, afirmou o petista.

Bolsonaro respondeu pelas redes sociais às declarações de Haddad. “Calma que sua hora vai chegar, marmita de corrupto preso!”, disse o candidato do PSL em sua conta no Twitter.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!