Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Candidatas se unem para lançar frente suprapartidária no DF

Pelo menos 50 mulheres que vão disputar vagas na Câmara Legislativa do Distrito Federal, Câmara dos Deputados e Senado Federal unem-se, a partir desta quarta-feira (8), para fortalecer e dar visibilidade às candidaturas femininas.

A Frente Suprapartidária de Mulheres pelo DF, lançada no início da noite de hoje, conta com representantes de 12 partidos diferentes e tem como missão legislar para melhorar a condição da vida da população feminina do Distrito Federal.

Segundo uma das idealizadoras da frente e candidata a deputada federal pela Rede, Thaynara Melo, as candidatas são de matizes ideológicos diferentes. “Conseguimos unir uma diversidade grande de partidos, que vai de PC do B a Podemos, que saem do campo ideológico e conseguem enxergar pontos de convergência em prol das mulheres da capital do nosso país.”

Além de Rede, Podemos e PC do B, a frente também tem candidatas do PV, Psol, PSDB, PT, PRB, PPL, PPS, PDT e PSB.

O grupo tem como um de seus principais objetivos aumentar a competitividade eleitoral das candidaturas femininas e evitar que mulheres sejam apenas candidatas laranja dos partidos.

A legislação eleitoral exige, desde 1997, que os partidos e coligações cumpram um mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo. Como plataforma única, as candidatas deverão priorizar propostas voltadas à educação, representatividade, combate à violência, saúde e igualdade salarial.

Como aponta um trecho do manifesto da frente, a representação parlamentar feminina é necessária para garantir direitos básicos, sociais e econômicos em um cenário em que cerca de 13 mil casos de violência doméstica foram notificados apenas no ano passado.

“É desproporcional e desmedido que não tenhamos eleito ainda uma governadora ou uma senadora, bem como nos deparamos com baixíssimos níveis de representação na Câmara federal e distrital”, diz o documento.

Continuar lendo