Luciano Hang minimiza erros de português de Weintraub

O empresário Luciano Hang, que é dono das lojas Havan e um dos principais apoiadores do governo de Jair Bolsonaro, saiu em defesa dos erros de português do ministro da Educação, Abraham Weintraub. Ele ironizou nesta sexta-feira (10) o fato de Weintraub ter escrito "imprecionante" e não impressionante com um post cheio de erros propositais de ortografia. E explicou: "Só não erra quem não faz".

> Congresso não aceitará proposta de Weintraub para o Fundeb, diz relatora

"Toda essa repercussão em torno dos erros ortográficos do Ministro Abraham Weintraub, mostra o peso do politicamente correto nos dias de hoje. Querem dizer como você tem que ser e não te permitem errar. Eu sou disléxico, aprendi a ler com 12 anos, até hoje tenho meus deslizes e dificuldades. Nem por isso deixei de construir a minha história de sucesso", escreveu Hang no Twitter.

O empresário, por sinal, também cometeu um deslize nesse texto. Ele colocou uma vírgula de forma errada entre as palavras 'Weintraub' e 'mostra' pois, de acordo com as regras gramaticais, não se separa sujeito do predicado com vírgulas.

Erros à parte, o dono da Havan ainda garantiu que Weintraub tem compromisso e vontade de querer fazer um bom trabalho "de sobra". "O comprometimento, disciplina e humildade é o que realmente importa", assegurou.

Toda essa mensagem ainda veio acompanhada de uma foto que mostra Weintraub sorrindo e traz uma mensagem cheia de erros ortográficos, dessa vez propositais, para passar um "recado" aos críticos do ministro da Educação. A mensagem diz o seguinte: "Só não 'érra' quem não 'fas'. Ministro 'deslisa' e 'paraliza' 'internete'. A 'repercusão' foi 'imprecionante'". Veja:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Eu sempre digo: só não erra quem não faz. Toda essa repercussão em torno dos erros ortográficos do Ministro Abraham Weintraub, mostra o peso do politicamente correto nos dias de hoje. Querem dizer como você tem que ser e não te permitem errar. Eu sou disléxico, aprendia a ler com 12 anos, até hoje tenho meus deslizes e dificuldades. Nem por isso deixei de construir a minha história de sucesso. O comprometimento, disciplina e humildade é o que realmente importa. A vontade de querer fazer um bom trabalho nosso ministro tem de sobra. O bom mesmo é ter um presidente corrupto e outro que queria estocar vento... A grande mídia faz isso para desconstruir a imagem do ministro. Ao invés de somar e gerar harmonia, causam fofoca e desunião, você não acha? @abrahamweintraub . . . #lucianohang #veiodahavan #ministrodaeducação #educação # AbrahamWeintraub #mec #ministeriodaeducacao

Uma publicação compartilhada por Luciano Hang (@luciano.hang) em

O post de Luciano Hang foi compartilhado no Twitter pelo próprio Abraham Weintraub, que virou assunto nas redes sociais e até em jornais estrangeiros ao cometer mais um erro de português nesta semana. Ele escreveu "imprecionante" ao responder um post do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) na internet. Mas, antes disso, já havia cometido outros enganos linguísticos.

Ao discutir sobre o fim da TV Escola no Twitter no mês passado, por exemplo, Weintraub escreveu "antessessores" ao invés de antecessores. Antes disso, ele também enviou um ofício ao ministro da Educação, Paulo Guedes, falando de uma "paralização" e não de uma "paralisação". No início do ano, ainda chamou o escritor Franz Kafka de "kafta" em uma audiência no Senado.

Weintraub, porém, não fez comentários sobre o novo erro ortográfico. Ele só apagou o comentário do "imprecionante" e, ao compartilhar o post de Hang, limitou-se a agradecer o apoio e as palavras do empresário. Veja:

> Weintraub se irrita após manifestantes no Pará oferecerem kafta

> Weintraub compartilha crítica a Bolsonaro e diz que foi “sem querer”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!