Inflação tem aumento de 0,51% em novembro, maior índice dos últimos 4 anos

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,51% em novembro deste ano. A taxa é superior às registradas em outubro deste ano (0,10%) e em novembro do ano passado, quando havia sido observada uma deflação (queda de preços) de 0,21%.

> Não há o que se comemorar na economia real de Bolsonaro

Esse é o maior resultado para um mês de novembro desde 2015 (1,01%). Segundo dados divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula taxas de 3,12% no ano e de 3,27% em 12 meses.

O aumento dos preços tanto de produtos, quanto de serviços é chamado de inflação. Quando a inflação tem um aumento superior ao dos salários, por exemplo, gera perda de poder de compra da população.

O aumento do preço das carnes foi um dos que mais gerou impacto. Com 8,09% de aumento, o item sozinho representou 0,22 ponto percentual do IPCA de novembro.

Na noite de quinta-feira (5) o presidente Jair Bolsonaro, rebatendo de maneira indireta as críticas que têm recebido pelo aumento dos produtos nacionais, respondeu que o mercado tem que se autorregular e sem citar o fato do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aumentar as tarifas sobre aço e alumínio brasileiro e argentino, o presidente deu uma declaração genérica.  "Você que fabrica outras coisas, você gostaria que o preço do seu produto também tivesse um preço melhor aí fora do Brasil", disse.

*Com informações da Agência Brasil

> Congresso derrubou 11 e sancionou nove MPs de Bolsonaro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!